Reverendo maravilha-se com o poder da tecnologia para melhorar a vida e mudar o mundo, seria possível?

O Rev. Billy Graham é um entusiástico dos avanços científicos e chegou a participar das célebres palestras TED. Suas palavras marcaram história e mostraram algo que o poder da tecnologia nunca conseguirá superar.

Tecnologia
7 meses atrás
Reverendo maravilha-se com o poder da tecnologia para melhorar a vida e mudar o mundo, seria possível?

O mito do poder tecnológico

O Rev. Billy Graham marcou a história das palestras TED ao mostrar que o poder da tecnologia não é suficiente para resolver os problemas da vida e do mundo.

Em realidade, a história já nos deu essa lição ao mostrar que o mundo passou por várias revoluções tecnológicas ao longo da história, inclusive no tempo bíblico.

O avanço tecnológico do povo de Israel

O povo de Israel na época do Rei David se transformou em uma das principais potências do Oriente Médio.

Mas um fator humano que contribuiu para o apogeu do povo de Israel foi a descoberta da fundição e processamento do ferro pelos Hititas.

O Rei David conseguiu ter acesso sobre as técnicas dos Hititas e introduziu a Idade de Ferro para o povo eleito.

A Sagrada Escritura narra que o Rei David foi o responsável pela construção de enormes depósitos de ferro.

Já nos tempos modernos os arqueólogos confirmaram a existência de conhecimentos sobre o ferro em terras Palestinas datadas do período bíblico.

Esta evolução dos armamentos de pedra e madeira para as armas e ferramentas de ferro significou para os judeus uma transformação equivalente a introdução do microchip na modernidade, segundo Graham.

Limites da tecnologia

Embora o conhecimento do ferro para os israelitas tenha sido decisivo, o Rei David reconheceu que os avanços tecnológicos não poderiam solucionar todos os problemas do povo e nem os seus pessoais.

De acordo com Graham, três dos principais problemas do Rei David nem mesmo a ciência moderna conseguiu encontrar solução:

  • A maldade do ser humano
  • O sofrimento humano
  • Morte

A fonte do mal

Alguns segredos do universos a ciência já revelou como o fundo do oceano três milhas abaixo ou galáxias a milhares de bilhões de anos.

Por outro lado, guerras, revoluções, mentiras e crimes continuam produzir dor e morte ao longo de toda a história humana.

A Bíblia nos explica que a maldade nasce do fundo do coração do homem à medida que se afasta de seu Criador.

Mesmo ateus e cientistas famosos, como Bertrand Russel ou Albert Einstein, reconheceram que a origem do mal está no próprio homem.

O resultado desta dureza de coração que é mesmo importantes avanços tecnológicos foram usados também para fins corruptos.

Os vírus de computador destruíram sistemas inteiros digitais e até hoje causam prejuízos pela ação de hackers.

O atentado de Oklahoma mostrou ao mundo o poder obscuro das bombas a base de fertilizantes.

O sofrimento

O sofrimento humano, por sua vez, está inteiramente retratado na história de Jó, o homem das dores.

Não importa o quão rico, poderoso e saudável sejamos, todos nós estamos fadados a uma vida cheia de sofrimentos.

A morte

A maioria das pessoas vive como se fossem eternas, particularmente nos tempos modernos onde a tecnologia projetou este mito.

No entanto, a única certeza que todos nós podemos ter nesta vida é que da morte ninguém poderá escapar.

A solução para o homem

Voltando ao Rei David, que viveu 70 anos, sua resposta ao dilema do mal, sofrimento e morte foi esta: “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo”.

O Rei David é um exemplo para o mundo moderno de como o homem pode errar e consertar a sua vida.

Com efeito, o mundo continuará evoluindo, novos avanços tecnológicos serão descobertos, mas nada poderá saciar a alma humana nesta vida e na outra senão aceitar a Jesus Cristo.

Cotidianum

O Cotidianum é muito mais que um site, é uma ideia de levar conteúdo que acrescente utilidades aos nossos seguidores, seja com carros, dicas, gastronomia, entretenimento e muito mais para o cotidiano.

Vamos Bater um Papo?