Estou correndo risco se usar biometria em aplicativos de bancos?

Com as crescentes ondas de ciberataques, muita gente vem se perguntando se é seguro usar o sistema de biometria nos aplicativos de bancos. A seguir, vamos dar algumas dicas para que você possa utilizar esses recursos e ficar mais tranquilo quanto à segurança das informações.

Tecnologia
4 dias atrás
Estou correndo risco se usar biometria em aplicativos de bancos?

Usar aplicativos de bancos no celular traz algum risco?

Para muita gente, usar aplicativos de bancos no celular para manejar o dinheiro é uma verdadeira loucura, um grande risco de perder tudo a qualquer momento. Na verdade, não é bem assim que a coisa funciona.

Hoje em dia, as instituições financeiras são a vanguarda da segurança digital. “Os bancos possuem os apps mais seguros que temos hoje em dia. Aliás, o sistema bancário é a locomotiva da segurança digital aqui no Brasil”, diz Hiago Kin, presidente da Abraseci (Associação Brasileira de Segurança Cibernética) e presidente executivo da companhia de segurança digital Decript.

Assim, a primeira coisa a se fazer é perder o medo de usar o aplicativo no banco. Não podemos pretender que a sociedade vai deixar o aplicativo para voltar a ir à agência bancária resolver coisas simples que podem ser feitas do conforto e segurança de sua casa.

Usar biometria em apps de bancos é seguro?

Quando se trata de internet, nenhum sistema é 100% seguro e inviolável. Mas algumas dicas poderão garantir que nenhum ladrão vai conseguir entrar em sua conta bancária tão facilmente.

Vamos começar por responder à pergunta do enunciado, e a resposta é afirmativa: você pode utilizar o sistema de biometria nos apps de bancos, mas deve tomar alguns cuidados para que o “feitiço não se vire contra o feiticeiro”.

O que acontece em quase 100% dos casos de invasão digital nas contas deve-se ao descuido do usuário, muito mais do que por uma falha no sistema, especialmente no caso da biometria. Vamos dar algumas dicas para prevenir que assaltantes digitais roubem sua conta bancária.

Exigir bloqueio da tela no menor tempo possível

Usar a biometria para entrar na conta bancária é uma grande facilidade, e teoricamente não tem nenhum risco. Mas o perigo mora na desatenção do usuário. Quando você permite que o app do banco seja aberto com a biometria, deve estar ciente que esse será o mesmo método usado para desbloquear a tela do celular.

Muitos bandidos ficam à espera de uma distração. Eles analisam por alguns instantes seu modo de usar o aparelho, e quando você menos espera eles passam correndo e levam o celular com a tela desbloqueada. Para redefinir a biometria e acessar sua conta são só alguns movimentos.

Sendo assim, o ideal é que você configure seu aparelho para bloquear a tela automaticamente no menor tempo possível. Dessa maneira, mesmo que o celular seja roubado, o ladrão não conseguirá acessar as informações.

Não use senhas muito fáceis, nem escreva a senha no celular

Outra dica que, apesar de parecer óbvia, muitas vezes passam despercebidas é uso de senhas muito fáceis. Por exemplo, colocar 123456 como senha é deixar o sistema muito mais vulnerável para o ladrão. Datas de aniversários também não são recomendadas.

Contudo, o usuário deve tomar cuidado para não cair o extremo oposto. Colocar uma senha muito difícil, tão difícil que precise ser anotada no celular (seja num papel junto ao aparelho, ou mesmo em algum aplicativo de texto), também pode facilitar a atividade do ladrão.

Portanto, escolha uma senha que faça sentido para você – e só para você – em seus aplicativos de bancos. Isso será uma camada a mais de proteção que você está agregando à sua conta bancária.

Autenticação em duas etapas

Uma configuração que pode ajudar a evitar esse tipo de invasão também é a autenticação em duas etapas. Trata-se de um método utilizado por diversos aplicativos – não apenas os de bancos – que exigem uma confirmação para o acesso.

Embora para algumas pessoas isso seja um obstáculo tecnológico, vale a pena reservar um tempo para aprender usar e configurar a autenticação em duas etapas, ou pedir que uma pessoa de confiança ajude a fazê-lo.

Essa autenticação pode ser feita via SMS, por e-mail, ou até mesmo por um aplicativo específico para isso, como por exemplo o Authenticator, da Microsoft. O importante é que um código temporário – no estilo token – vai ser gerado a partir de uma outra fonte, aumentando sua segurança.

O que fazer se meu celular foi roubado?

No caso da conta bancária, a primeira coisa a fazer é comunicar a instituição financeira do ocorrido e pedir que bloqueie o acesso por meio de celular até que seja possível contornar a situação.

Depois, apague o conteúdo de forma remota. Isso vai depender um pouco de cada aparelho. No caso da iPhone basta acessar o icloud.com e escolher a opção “Buscar iPhone”, em seguida clique em “Apagar iPhone”.

Para usuários de Android, basta acessar o site android.com/find com seu e-mail e senha do Google. Quando o mapa com a localização do seu aparelho aparecer na tela, é só clicar em “limpar dispositivo”.

Com essas dicas bem simples, será muito mais difícil você ter sua conta bancária rapada por um ciberassaltante. Vale lembrar que o mais importante é que você esteja sempre atento ao usar seu celular num ambiente muito movimentado.

Além disso, nunca forneça informações bancárias por telefone ou whatsapp, as instituições financeiras nunca solicitam esse tipo de informação.

Cotidianum

O Cotidianum é muito mais que um site, é uma ideia de levar conteúdo que acrescente utilidades aos nossos seguidores, seja com carros, dicas, gastronomia, entretenimento e muito mais para o cotidiano.

Vamos Bater um Papo?