Como os drones estão ajudando a salvar florestas

A tecnologia dos drones já estão sendo usada para o reflorestamento em larga escala com melhor otimização do tempo, diagnósticos refinados e menor onerosidade.

Tecnologia
6 meses atrás
Como os drones estão ajudando a salvar florestas

O uso de drones em florestas

Pilotar um avião parece uma tarefa destinada para poucos, mas com o advento dos drones o interesse por fazer monitoramento aéreo para as mais variadas finalidades aumentou.

Por consequência, o número de programadores especializados em desenvolver a telemetria entre pilotos e aeronaves não tripuladas também está crescendo e novos projetos para o uso de drones estão surgindo.

Uma das áreas que o uso dos drones está ajudando é para salvar florestas nativas e plantadas coletando dados de modo mais prático, rápido e barato.

Principais tarefas de drones em florestas

Entre as aplicações do uso dos drones para o controle florestal estão diversas atividades que podem ser potencializadas:

  • Construção de estradas
  • Construção de pontes
  • Proteção de nascentes
  • Definição de áreas de conservação
  • Projeção de talhões
  • Monitoramento de incêndio
  • Fiscalização ambiental
  • Monitoramento de colheita
  • Monitoramento de fauna por câmeras infravermelhas
  • Monitoramento de doenças e pragas
  • Mapeamento de áreas de conflito
  • Acompanhamento da evolução do plantio
  • Desenvolvimento de medidas de educação ambiental

Popularização dos drones

É claro que ainda existem muitas desconfianças em relação ao uso de drones nas florestas, mas o mesmo também se sucedeu com a chegada do GPS e hoje ninguém dúvida do potencial desta tecnologia.

A tendência é que o uso corrente de drones e a produção em alta escala reduza os custos com o aparelho, fazendo que a tecnologia se torne uma peça fundamental para o controle floresta.

Superioridade dos drones

Mesmo porque a eficácia dos mapeamentos feitos por drone está fora de comparação com a metodologia manual que implica muito mais investimentos.

O mapeamento de florestas feito por drones é realizada em minutos, com resultados precisos e com detalhes impensáveis, enquanto o sistema antigo é excessivamente demorado.

O cálculo de volume de toras, por exemplo, na Floresta Nacional do Jamari (RO) levava 21 dias e no mínimo três profissionais para a coleta de dados.

Já utilizando drones foram precisos apenas 16 minutos para medir 25 mil metros cúbicos em toras e 3 horas para processar as informações.

Restauração das florestas

Outra importante tarefa que os drones estão executando é a restauração florestal como aconteceu na Floresta Nacional (FLONA) localizada na cidade de Piraí do Sul (PR).

Foram 36 hectares restaurados graças ao mapeamento preciso e rápido feito com o sobrevoo de um drone.

Investindo em especialização

É preciso ter em mente que o uso das novas tecnologias exige uma especialização, sendo que a Embrapa é uma das empresas que está oferecendo um curso completo para capacitar os técnicos florestais nas seguintes tarefas:

  • Normatização de uso
  • Procedimentos de voo
  • Regras de segurança
  • Técnicas de calibragem
  • Técnicas de cartografia
  • Técnicas de pilotagem

Métodos inovadores com drones

A empresa britânica BioCarbon Engineering está inovando no uso dos drones, utilizando a tecnologia para plantar árvores.

Em locais de difícil de acesso os drones fazem a dispersão de sementes. A expectativa da empresa é que até 2020 sejam restauradas 100 mil hectares de florestas.

Leitura virtual das florestas

Na Escócia, por exemplo, os drones estão ajudando a proteger a vegetação nativa contra as ameaças de espécies invasoras e mudanças climáticas.

A tecnologia utilizada é um laser acoplado no drone para mapear a vegetação de maneira similar a um radar: a luz é projetada nas copas das árvores e o tempo de retorno é calculado para formar uma imagem 3D.

Cotidianum

O Cotidianum é muito mais que um site, é uma ideia de levar conteúdo que acrescente utilidades aos nossos seguidores, seja com carros, dicas, gastronomia, entretenimento e muito mais para o cotidiano.

Vamos Bater um Papo?