Baixar a Carteira de Trabalho Digital é fácil e grátis

O aplicativo da Carteira de Trabalho Digital tem a mesma validade do tradicional “livrinho azul” e pode ser Baixada em qualquer celular. O melhor é que ela é grátis e fácil de usar.

Aplicativos
6 meses atrás
Baixar a Carteira de Trabalho Digital é fácil e grátis

Hoje a tendência é que todos os documentos sejam digitais. Já tínhamos a CNH Digital, CRLV Digital, RG Digital, entre outros. Agora, também está disponível a Carteira de Trabalho Digital (CTPS) para facilitar seu dia-a-dia.

Baixar a Carteira de Trabalho Digital no celular

Qualquer pessoa com um smartphone pode ter a Carteira de Trabalho Digital, basta acessar a loja virtual de aplicativos e baixar o app.

O download é gratuito e está disponível tanto para o sistema Android na Google Play, quanto iOS na Apple Store.

O aplicativo já existe desde 2017, mas ele só servia para consultar as informações, ainda não substituía o “livrinho azul”. Agora, ele tem o mesmo valor, tal como acontece com outros documentos digitais que já possuem um caráter oficial.

Mesmo para o momento da contratação num emprego, a Carteira de Trabalho Digital é totalmente válida e suficiente na maioria dos casos. No caso do contratado, basta informar o número do CPF ao contratante.

As informações que ele prestará ao e-Social substituem de modo legítimo aquelas realizadas em documento físico. Tudo para efeitos de FGTS, aposentadoria, enfim, para qualquer outra medida o aplicativo serve.

Mesma validade do documento impresso

A Carteira de Trabalho Digital tem exatamente a mesma validade da sua versão impressa, nem mais nem menos. Mas conta com muito mais praticidade do que a versão física.

Só de não precisar se preocupar com o cuidado que o documento exigia anteriormente. Imagine só, não tem perigo de molhar, amassar ou se perder. Basta ter o aplicativo instalado no seu celular, pronto!

Além disso, o documento em sua versão digital ajuda diminuir a burocracia e os custos para empregados e empregadores. Tudo fica mais fácil, rápido e simples. Informe o seu CPF ao empregador e pronto, ele se encarregará do resto, realizando seu registro de forma totalmente online.

Aprovada por Lei

A Carteira de Trabalho Digital está disciplinada pela Portaria nº 1.065, da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O documento digital está previamente emitido para todos os brasileiros, mas cada trabalhador deverá habilitar o seu documento no celular mediante a criação de uma conta de acesso no site: www.gov.br/trabalho

Passo a passo para instalar

Para instalar o aplicativo da Carteira de Trabalho Digital em seu celular basta acessar a loja virtual compatível com o seu aparelho e digitar um dos termos: “ctps digital”, “ctps”, “carteira de trabalho” ou “carteira de trabalho digital”.

Veja se o desenvolvedor do app é o “Governo do Brasil” e clique em “Instalar” ou “Obter”, de acordo com o sistema de sua loja. Depois disso, faça sua conta como indicado acima e pronto, já poderá usar a versão digital do documento.

Menos burocracia

Grande parte das empresas brasileiras já utilizam o e-Social. Para essas empresas, já é possível contratar empregados sem a necessidade do documento impresso. Isso resulta num enorme avanço rumo à desburocratização redundante que temos em nosso sistema atualmente.

Todas aquelas anotações que a empresa fazia no seu “livrinho azul” agora serão feitas de forma eletrônica no sistema do e-Social, de forma que tudo será o mais justo e transparente possível.

O trabalhador poderá acompanhar as anotações pelo próprio aplicativo da Carteira de Trabalho Digital ou ainda acessando o site www.gov.br se preferir.

Para fins de registro, o sistema adotou o número do CPF do trabalhador, que é exclusivo e intransferível. Dessa forma, não haverá como burlar o sistema. O empregador terá acesso à idade, nacionalidade, condições legais e outras. Não poder, dessa forma, alegar desconhecimento.

O que fazer com o documento impresso?

Mas para muito pode surgir uma pergunta: o que fazer com o documento impresso? Se você já possui o documento físico, deve guardá-lo, pois ela possui todo o seu histórico antigo (da década de 80, por exemplo), mesmo que parte dele possa constar no sistema eletrônico.

Daqui para frente todos os contratos novos, ou as anotações nos que já existem (férias, salário, FGTS, entre outros), serão feitas pelo meio eletrônico, e o trabalhador poderá acompanhar pelo aplicativo ou pelo site do Governo.

O que fazer se os dados estiverem errados?

Pode acontecer em alguns casos que os dados constantes no sistema eletrônico sejam distintos da realidade, como por exemplo cargo, remuneração, datas de início ou fim do trabalho, etc. O que fazer nessa situação?

Essa situação será mais frequentemente encontrada nos contratos de trabalhos mais antigos, onde a divergência entre o que foi registrado no papel e o que ficou na base de dados da época é mais compreensível.

Nestes casos, não é preciso que o trabalhador se dirija a uma unidade de atendimento. O sistema foi projetado de forma a corrigir inconsistências nas informações de forma automática de tempos em tempos. Mas mesmo que o erro perdure, não se preocupe, pois serão realizadas campanhas específicas para a correção desses erros.

Contudo, se as inconsistências forem posteriores a 2019, o trabalhador deve primeiro informar o empregador do erro e solicitar que seja feita a correção. Caso o erro continue, aí sim deverá buscar por uma unidade de atendimento e apontar a divergência.

O empregador que não exigir o documento impresso será multado?

Não! O empregador não precisa mais exigir o documento em sua versão impressa. Não será multado de forma alguma por esse motivo. Pelo contrário, o sistema foi instituído justamente para substituir a antiga burocracia do documento impresso, passível de muito mais erros que a versão digital.

Agora, as contratações e anotações já são feitas de modo eletrônico pelo empregador, ou quem ele designar para essa atribuição (contador, RH, etc.). Mas atenção, o prazo para envio das informações é mais curto, apenas 48 horas para que o empregado veja suas informações no sistema.

Documento obrigatório

A Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) é o documento obrigatório para qualquer pessoa física que pretenda desempenhar um serviço, seja na indústria, no comércio, na agricultura, enfim, que seja contínuo e remunerado.

Um pouco de história

Desde a sua criação em 1904, quando se chamava “Carteira de Trabalhador Agrícola”, ela sofreu inúmeras alterações. A primeira foi apenas no ano de 1932, com o Decreto nº 21.175, de 21 de março, quando nasceu de fato a “Carteira Profissional”.

A Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) com a nomenclatura que conhecemos hoje surgiu apenas em 1969, com o Decreto-Lei n.º 926, de 10 de outubro.

Em 1997 foi implantada a nova CTPS, emitida de modo informatizado, o que visava evitar ou inibir as fraudes. Esse novo documento continha diversos itens de segurança que dificultavam a falsificação ou fraudes contra o seguro-desemprego, por exemplo.

Ela também era confeccionada num tipo de papel especial mais durável, também dificultando a sua imitação, além de garantir por mais tempo que as informações ficassem visíveis.

Foi aqui que o documento recebeu sua capa azul em material sintético, com plástico auto-adesivo inviolável que protegia as informações e os itens de segurança relacionados à identificação profissional, bem como a qualificação civil do indivíduo.

*Com informações do Emprega Brasil, Gov.br, Imprensa Nacional e Trabalho.gov.br.

Cotidianum

O Cotidianum é muito mais que um site, é uma ideia de levar conteúdo que acrescente utilidades aos nossos seguidores, seja com carros, dicas, gastronomia, entretenimento e muito mais para o cotidiano.

Vamos Bater um Papo?